Com a distância média cerca de 120 km da capital Porto Alegre, Bento Gonçalves é conhecida como a “capital brasileira do vinho”.

Isso porque é uma das maiores cidades da Serra Gaúcha, região que tem a mais importante produção vinícola do país.

É por isso também que, quando a questão é o que fazer em Bento Gonçalves, a maioria das opções tem a ver com o enoturismo – e, claro, com as belas paisagens e a saborosa culinária italiana.

Para quem está no Centro…

PUBLICIDADE

1. Pipa Pórtico

A Pipa Pórtico é a porta de entrada da cidade. O monumento de 17 metros de altura foi construído em 1985 e representa as pipas utilizadas pela vinícolas para fabricação e armazenamento do vinho, bebida que tornou a cidade tão visitada!

Localização: Travessa Carazinho, no bairro Cidade Alta e na entrada principal de Bento Gonçalves.

Valor: A visitação é gratuita.

Cuidado: O pórtico possui intenso trânsito de veículos e,por isso, é preciso ter cuidado na hora de tirar fotografias.

2. Parque Temático Epopéia Italiana

Em 1875, chegaram os primeiros italianos para colonizar a região e criar Bento Gonçalves.

A história deles é retratada no parque Epopéia Italiana. A atração, que é dividida em nove cenários, pretende fazer os visitantes voltarem no tempo para vivenciar o cotidiano dos imigrantes italianos.

Localização: Rua Visconde de São Gabriel, 507, no bairro Cidade Alta.

Valor: Os ingressos* para o parque custam R$ 20 na baixa temporada (Fevereiro, Março e Abril), R$ 25 na média temporada (Maio, Junho,Agosto, Setembro e Outubro) e R$ 30 na alta temporada (Novembro, Dezembro,Janeiro e Julho).

É possível reservar a entrada no site. A atração funciona de terça a domingo, das 8h às 17h45 min, na baixa temporada; e diariamente das 8hàs 17h45 na alta temporada.

*preços válidos até 31/01/2019.

Melhor Época para visitar: É recomendado fazer a visita na média ou na baixa temporada, já que a atração costuma lotar.

3. Museu do Imigrante

Em um antigo casarão de 1913, mais de 10 mil itens retrata uma fascinante história da Imigração Italiana em Bento Gonçalves.

Todos os itens que lá estão foram doados pela comunidade! São sete salas dispostas em dois pisos, cada uma delas com um tema diferente.

Localização: Rua Herny Hugo Dreher, 127, no bairro Planalto.

Valor: A visitação é gratuita e pode ser feita de terça-feira a sábado das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30.

Melhor Época para visitar: Os dias de semana costumam ser os melhores para visitar o museu.

Receba emails com os melhores descontos, promoções de passagens e ofertas de viagem! 

4. Maria Fumaça

O passeio de Maria Fumaça, conhecido como “trem do vinho”, é um dos mais procurados pelos visitantes.

O trajeto começa em Bento Gonçalves e passa por Garibaldi e Carlos Barbosa – são 23km que duram 1h30.

Durante o percurso, os passageiros podem apreciar a linda paisagem da Serra e curtir um show animado de música e dança italiana, além de degustar vinhos e sucos de uva produzidos na região.

Localização: Rua Duque de Caxias, Cidade Alta.

Valor: Os preços podem variar de acordo com o pacote escolhido pelo viajante e pode ser consultado no site da agência que organiza os passeios. Eles ocorrem de manhã e à tarde.

Melhor Época para visitar: O passeio pode ser feito o ano inteiro, mas é preciso agendar com antecedência.

5. Tour Via Del Vino

A Via Del Vino fica no coração de Bento Gonçalves e é um ótimo lugar para conhecer um pouco dia-a-dia dos moradores.

Lá estão diversos prédios e monumentos que representam a históricos da cidade: La Fontana (o“Chafariz de Vinho”), Clube Aliança, Banco Santander, Praça Walter Galassi,Prefeitura Municipal, Casa Fasolo, Casa Bertani, e muitos outros.

O tour pode ser feito a pé mesmo e na frente de cada prédio há uma placa indicando a história do local.

Localização: A região fica no Centro de Bento Gonçalves próximo à Prefeitura Municipal.

Valor: o tour é gratuito.

Melhor Época para visitar: Nos dias de semana, é possível vivenciar o clima agitado do centro da cidade, devido ao comércio da região.

6. Vinícola Aurora

A Vinícola Aurora é uma cooperativa de produtores de vinho que funciona desde 1931 no centro de Bento Gonçalves.

É uma das maiores do país e tem mais de 1.100 famílias associadas. É possível fazer uma visita guiada pelo local, que começa com uma apresentação audiovisual, inclui degustação de  alguns rótulos e termina na loja de vinhos.

Localização: Rua Olavo Bilac, 500, bairro Cidade Alta.

Valor: A visitação é gratuita, dura cerca de 1h e acontece acada 15 minutos.

A vinícola abre de segunda a sábado das 8h15 às 17h e aos domingos das 8h30 min às 11h30.

Melhor Época para visitar: A vinícola funciona o ano inteiro.

Para quem quer se aventurar…

7. Rota do Vale do Rio das Antas

Cheio de curvas e paisagens de tirar o fôlego, o Vale do Rio das Antas é o trecho que divide Bento Gonçalves e Veranópolis e possui diversas atrações pelo caminho.

Na primeira curva está o Belvedere da Ferradura do Rio das Antas com um mirante para admirar a vista.

No final do trecho, faça uma pausa na Ponte Ernesto Dorneles, também conhecida como Ponte dos Arcos.

Vale parar no restaurante que tem ali pertinho para tomar um caldo de cano bem gelado!

Localização: BR 407 entre Bento Gonçalves e Veranópolis.

Valor: Informar se é pago para visitar o local e horários. Caso seja um local que tenha essa limitação..

Melhor Época para visitar: O passeio pode ser feito em todas as épocas do ano.

8. Casa Bucco

Na Rota do Vale do Rio das Antas também está a Casa Bucco,uma destilaria que desde 1925 produz cachaças artesanais, Grappa e Brandy -bebida feita a partir da destilação do vinho.

Os visitantes podem fazer um tour super completo por lá e entender como funciona todas a etapas da fabricação das bebidas destiladas. E, claro, dá para fazer degustação!

Localização: Rodovia BR 470, Km 194,3, Vale do Rio das Antas.

Valor: A visitação pode ser feita diariamente das 9h a 18h.

Melhor Época para visitar: A atração pode ser visitada em todos os períodos do ano.

9. Cicloturismo

O Cicloturismo é uma forma super diferente de conhecer os pontos turísticos de Bento Gonçalves: é só escolher a rota e o tempo de passeio.

Há opções para o Vale dos Vinhedos, os Caminhos de Pedra, Vale do Rio das Antas e Estrada do Sabor, com tours que variam de 3 a 8 horas.

Durante os passeios, o viajante faz paradas em diversas atrações, entre casas antigas,vinícolas, mirantes e parques.

Localização: A localização irá depender do trajeto escolhido pelo viajante.

Valor: O passeio é um projeto do hotel Dall’Onder, de Bento Gonçalves. Para participar basta escolher a rota e entrar em contato ([email protected])  com eles para fazer o agendamento e pagamento(o valor pode variar e está disponível sob consulta).

Os grupos partem de manhã e à tarde acompanhados de um instrutor. A bicicleta e os equipamentos de segurança estão inclusos no valor do passeio.

Cuidado: A idade mínima para participar é 14 anos.

10. Parque de Aventuras Gasper

Um daqueles lugares que foge da rota turística, mas que é uma atração certeira para a família inteira.

No Parque de Aventuras Gasper tem atividades para todas as idades, para pessoas mais ou menos aventureiras: como arvorismo, tirolesa, rapel, quadriciclo, tiro ao alvo, playground e muito mais.

Lá também tem um restaurante que serve almoço e lanches rápidos. Ah, o parque ainda fica em meio à uma belíssima paisagem!

Localização: Linha Eulália Alta, em Bento Gonçalves.

Valor: O valor de entrada no parque é R$5 por pessoa. Os valores de cada atividade podem ser conferidos no site. A única que precisa ser agendada com antecedência é o paintball.

O parque funciona quartas, sextas, sábados, domingos e feriados das 9h às 18h. O restaurante abre nos mesmos horários, mas é fechado nas quartas.

Cuidado: em caso de chuvas muito fortes, o parque  costuma optar por não abrir.

Nos Caminhos de Pedra…

11. Cantina Strapazzon

A Cantina e Vinícola Strapazzon é tão linda que foi escolhida como locação do filme “O Quatrilho” e de algumas novelas.

Ela fica na Rota Caminhos de Pedra, que passa pelas casas de pedra dos imigrantes italianos no interior de Bento Gonçalves.

Na propriedade construída por Giovanni Strapazzon em 1880, os turistas são recepcionados pela própria família e podem fazer um pequeno tour pelo local, além de degustar os vinhos e produtos coloniais feitos lá mesmo. 

Localização: Localidade de São Pedro, na rota Caminhos de Pedra.

Valor: O valor da atração é de R$5 por pessoa.

Melhor Época para visitar: Informar sobre as melhores épocas do ano para visitar.

Cuidado: Caso passe por alguma zona de risco ou seja necessário algum cuidado especial.

12. Parque da Ovelha

Talvez um dos parques mais originais e fofos da Serra Gaúcha, o Parque da Ovelha fica no Caminhos de Pedra e convida os visitantes a acompanharem a rotina de uma fazenda de ovinos.

A atração é para a família toda, principalmente para as crianças que podem amamentar os cordeirinhos e alimentar as ovelhas. Lá também é possível fazer uma degustação de produtos da Casa da Ovelha, como iogurtes e queijos.

Localização: Rodovia Linha Palmeiro, 400, no Rota Caminhos de Pedra.

Valor: Os ingressos para o parque custam R$60 para adultos, R$30 para crianças (de 6 a 10 anos) e para idosos. O parque e a loja Casa da Ovelha abrem diariamente das 9h às 17h30, com exceção das segundas, quando funciona a partir das 9h30. A última entrada no parque, porém, é às 16h15.

Cuidado: Todas as atividades do parque são acompanhadas por profissionais e deve-se seguir as orientações deles para preservar o bem-estar dos animais.

13. Casa da Erva Mate

A casa existe desde 1884. Antes, ela era um antigo moinho de milho, mas foi adaptada para a fabricação de erva-mate.

Agora os visitantes são convidados a acompanhar o passo-a-passo da produção artesanal da erva mais consumida no Rio Grande do Sul, que serve de insumo para o tradicional chimarrão gaúcho. 

Localização: São Pedro Linha Palmeiro, 190, na rota Caminhos de Pedra.

Valor: A visitação à casa custa R$5 e funciona diariamente das 9h às 18h.

Melhor Época para visitar: O passeio pode ser feito o ano inteiro, mas os melhores dias são de segunda a sexta-feira.

14. Casa das Cucas Vitiaceri

Um ótimo lugar para fazer uma pausa no passeio é a Casa das Cucas. Eles oferecem algumas opções de piquenique com queijos, frios, pães, geleias e, claro, deliciosas cucas recheadas.

É só escolher a opção que mais lhe agrada, procurar um lugar no jardim entre as árvores e aproveitar! Na época da safra da uva, os visitantes também podem passear pelos parreiras e colher algumas frutas. 

Localização: Linha Palmeiro, no Caminhos de Pedra.

Valor: o valor do piquenique vai variar de acordo com a opção escolhida pelo viajante. A Casas das Cucas abre diariamente das 9h às 16h.

Melhor Época para visitar: A melhor época para visitar é durante a Vindima, período da safra de uva, que vai de Janeiro a Março.

No Vale dos Vinhedos…

15. Vinícola Casa Valduga

Com quase 140 anos de história e quatro gerações da família de imigrantes italianos, a Casa Valduga é uma das maiores e mais tradicionais vinícolas do Brasil.

Sua belíssima propriedade, incluindo a fábrica e os parreirais, algumas pousadas e restaurantes, fica no Vale dos Vinhedos e merece uma visita.

É possível fazer um tour guiado que dura cerca de 1h30 – com direito a taça de cristal para levar para a casa e degustação!

Localização: Via Trento, 2355, no Vale dos Vinhedos.

Valor: O valor da visitação, que é feita todos os dias de 1h em 1h, é de R$40 por pessoa.

Melhor Época para visitar: A visitação pode ser feita todos os dias, mas, no período da Vindima, é possível apreciar os parreirais cheios de frutas.

16. Leopoldina Jardim

No Vale dos Vinhedos também tem cerveja! E uma delas é a Leopoldina, a marca de cervejas artesanais da Família Valduga.

Elas podem ser apreciada no Leopoldina Jardim, uma charmosa casa italiana centenária que é rodeada por um belíssimo jardim.

No local, há um café e restaurante, além de um centro de compras com produtos da região.

No verão, os visitantes também são convidados a fazer um divertido piquenique no jardim!

Localização: Via Trento, 2915, no Vale dos Vinhedos.

Valor: É possível visitar o jardim de forma gratuita diariamente das 12h30 às 18h30.

Melhor Época para visitar: O jardim fica ainda mais bonito na primavera e no verão.

17. Vinícola Miolo

Outra opção de visitação no Vale dos Vinhedos é a Vinícola Miolo, a qual tem em Bento Gonçalves o seu vinhedo modelo.

Acompanhado de um sommelier, os visitantes são guiados entre os parreirais e a fábrica para conhecer mais sobre a produção dos vinhos e espumantes. O tour tem duração de 1h e inclui a degustação de alguns rótulos.

Localização: Linha Leopoldina, 21, Vale dos Vinhedos

Valor: As visitas ocorrem de diariamente com intervalos de 1h entre elas. O valor é R$30 por pessoa e dá direito a R$10 de desconto nos produtos da loja Miolo.

Para as crianças de 2 a 17 anos, o valor é R$15 e garante a visitação e uma garrafa de suco de uva.

Melhor Época para visitar: Na época da Vindima, os turistas podem apreciar os vinhedos cheios de uva.

18. Vinícola Cave de Pedra

A vinícola Cave de Pedra chama atenção dos visitantes pela sua arquitetura medieval!

O prédio que a abriga é um castelo construído de basalto, o que garante com que a temperatura se mantenha ideal para a armazenagem do vinho.

É possível fazer um tour pela vinícola, mas só uma parada para apreciar a construção e degustar alguns rótulos já vale a visita!

Localização: Linha Leopoldina, 315, Vale dos Vinhedos

Valor: A Vinícola abre de segunda-feira a sábado e nos feriados das 9h40 às 18h, e aos domingos das 9h 40 às 17h. A tour pelo local custa R$40 por pessoa.

Melhor Época para visitar: A melhor época para visitar o lugar é no verão, entre janeiro e março.